Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro 12, 2015

O DOCE BORDADO AZUL - 16º CAPÍTULO

Todas as terças-feiras e quintas publicarei capítulos em sequência do romance "O doce bordado azul". A seguir o 16º capítulo.
Capítulo XVI
A surpresa
Lúcia levantou-se acabrunhada. Os cabelos em completo desalinho, a cara amassada, olhos inchados. Quem a visse naquele momento, imaginaria uma imensa ressaca. Mas sua fisionomia refletia o seu espírito desordenado com as situações criadas. E agora, a mãe viera com esta história do vizinho que conhecera, chegando ferido em seua casa e ainda ajudando-o.
Bem, como dissera, ela sempre tinha explicações para tudo. Que fosse então. Olhou para fora, empurrando levemente a cortina, temendo ser observada por alguém. A tarde caía rapidamente. Nada melhor do que a noite para refazer-se.
A tarde sempre trazia consigo uma sensação de modorra, mormacenta, que lhe causava tédio. Nunca gostara de estudar à tarde. Sentia-se cansada, sonolenta.
A noite, ao contrário, enchia-a de energia ao espírito. Sentia-se mais resistente, mais preparada para o…

A primavera e a Academia Rio-grandina de Letras

Antes de iniciar a primavera, apavorado com o inverno, ousei fazer alguns versos o que chamei de poesia. Utilizando a mulher como a metáfora de primavera, eu a suplicava junto a mim, ouriçando-me os cabelos, guerreira e forte e superando o inverno que não acabava.
Hoje, porém, tive a primavera bem próxima. E não foram os ventos que a trouxeram, talvez a temperatura suave acalentada pelo sol esparso sobre as árvores. Pois revelou-se com o encontro. Um encontro inédito e espontâneo, que se deu, a partir da sessão da Academia que se desenvolveu sob as árvores da praça Xavier, na falta da chave da biblioteca.
Ali, nos expomos em nossas atitudes mais despojadas, sem didatismos ou preocupações formais. A ordem foi invertida, a lírica, a literatura e a harmonia dos textos chegou antes das atividades administrativas.
Até mesmo o tradicional chá com salgadinhos e doces, alternou-se com a poesia.
Senti o bafejo da primavera, bem perto, junto com meus colegas, perfazendo um círculo em que a alegri…